Você sabe o que é PCH e CGH? Conheça as diferenças, potência e mais

Saiba o que é PCH e CGH, a potência máxima gerada por cada modalidade e as principais vantagens e desvantagens de cada um dos investimentos.

PCH e CGH são siglas para usinas hidrelétricas de tamanho e potência relativamente reduzidos. Para se enquadrarem nessa categoria, as Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) precisam ter entre 5 MW e 30 MW de potência, enquanto as Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) até 5 MW.   

Para além da definição, entender o que é PCH e CGH passa por identificar sua representatividade no mercado. E a melhor forma de ter acesso a essas informações é conferindo o Sistema de Informações de Geração (SIGA), um sistema da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que reúne dados constantemente atualizados sobre a capacidade instalada de geração de energia elétrica do Brasil. Assim, segundo última atualização, contamos com 546 PCHs e 744 CGHs espalhadas pelo país, que juntas somam mais de 6209 MW de potência fiscalizada e representam, aproximadamente, 4% da matriz elétrica brasileira.    

O que é PCH 

Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) são usinas hidrelétricas de tamanho e potência relativamente reduzidos. A classificação dessas usinas foi feita pela Aneel, em 1997 e deve seguir as características abaixo: 

  • Potência instalada entre 5 MW e 30 MW; 
  • Área de reservatório de até 13 km², excluindo a calha do leito regular do rio. 

Em razão de seu reduzido espaço físico, as PCHs possuem custo de construção menor e podem ser implantadas em locais próximos a centros consumidores, representando uma boa opção para complementar a matriz energética brasileira

Como funciona uma PCH? 

Para uma PCH funcionar, é preciso construir uma barragem para represar a água de um rio, formando um reservatório. Quando abrimos as comportas dessa barragem, a água do reservatório desce pela tubulação até atingir as turbinas. Essas turbinas são formadas por várias pás e conforme a água passa por elas, aciona o gerador da usina, transformando energia mecânica em energia elétrica.  

Essa energia elétrica tem a sua tensão elevada por um transformador, passa pela rede de transmissão e em seguida é distribuída pela cidade pelos fios.  

Toda a água utilizada ao longo desse processo é devolvida ao rio, sem qualquer tipo de perda e pode ser aproveitada normalmente. 

As PCHs são uma possibilidade de geração de energia limpa e com baixo impacto ambiental. Além disso, sua construção proporciona benefícios à região ao redor, como novos empregos para a pessoas, oportunidades de negócio e melhorias na infraestrutura. 

O que é CGH 

Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGH) são usinas hidrelétricas ainda menores do que as PCHs. A potência é igual ou inferior a 5 MW.  

Com funcionamento semelhante ao das PCHs, as CGHs possuem obras de execução bastante simplificadas. Em razão de seu porte pequeno, possuem incentivos legais e descontos em tarifas setoriais. 

Diferenças entre PCH e CGH 

Agora que você já sabe o que é PCH e GCH, está na hora de entender um pouco mais sobre as diferenças entre elas. Além da potência, há alguns pontos a se considerar. 

Enquanto a PCH demanda um estudo de inventário (que analisa o potencial hidráulico da fonte escolhida) e um projeto com detalhamento técnico para análise e aprovação da Aneel, a CGH, em razão de seu pequeno porte, está dispensada do cumprimento das duas etapas acima.  

Para iniciar suas obras, é necessário apenas comunicar à Aneel sobre a intenção de implantação e obter os licenciamentos ambientais.  

Como o processo de criação de uma CGH é simplificado, seu prazo de implantação dura até dois anos, enquanto o das PCHs pode chegar a cinco anos. 

Outra vantagem do investimento em CGHs é o custo, que é mais baixo por conta de sua estrutura reduzida e da menor complexidade de processos.  

Pequenas Centrais Hidráulicas e Centrais Geradoras Hidrelétricas são ótimas de complementação de nossa matriz energética. Além do menor impacto para o meio ambiente, costumam ser opções atrativas para investidores privados. Isso significa mais dinamismo ao mercado, com a descentralização da produção de energia.  

Aqui na Omega contamos com um portfólio diversificado de geração de energia renovável, formado também por PCHs como o Complexo Indaiás, no Mato Grosso do Sul e as PCHs Serra das Agulhas e Pipoca, em Minas Gerais.

Se você se interessa pelo assunto e quer saber mais sobre nós, visite o nosso site ou mande a sua mensagem para contato@omegaenergia.com.br, que vamos adorar conversar com você! Até mais!