Os impactos da covid-19 no consumo de energia residencial no Brasil

Conheça os impactos causados pelo isolamento social no consumo de energia residencial no Brasil e quais medidas tomar para economizar.

Com o isolamento social adotado por conta da pandemia de covid-19, uma das principais consequências no mundo corporativo foi adotar o home office por tempo indeterminado. Desde março, muitas sedes físicas das empresas estão fechadas, enquanto as casas são ocupadas pelos moradores por um período do dia muito maior do que o praticado anteriormente.  

De forma repentina, essa e outras mudanças acarretaram novos hábitos de consumo de energia residencial no Brasil em 2020. Em vez de saírem pela manhã e retornarem só ao final da tarde, muitos trabalhadores passaram a ficar o dia todo em casa, seja utilizando o computador, cozinhando ou até assistindo a lives. 

É por conta desse “novo normal”, expressão que se popularizou no começo da pandemia, que, no texto de hoje, vamos abordar quais os principais impactos da covid-19 no consumo de energia residencial do Brasil e quais medidas tomar para economizar nesse contexto. Quer saber mais sobre o tema? Continue com a gente!

Por que o isolamento social está gerando uma mudança do padrão de consumo de energia?

É uma associação lógica: com o isolamento social e as pessoas em casa por mais tempo, inclusive para trabalhar e estudar, os aparelhos elétricos das casas passaram a ser utilizados por mais horas e o consumo de energia mudou. 

Dessa forma, as pessoas tiveram que reorganizar o orçamento com base em um novo contexto. Bem como as empresas passaram a dar suporte para que os colaboradores trabalhem de casa e mantenham a produtividade. 

Em vez de uma reunião presencial, que demandava a energia elétrica de um auditório, por exemplo, tornou-se comum a participação remota de vários profissionais em uma sala de reunião online. Práticas como essa, evidentemente, diluíram o consumo de energia para mais locais.  

Abaixo, listamos algumas das práticas que demandam maior consumo de energia durante a quarentena. Confira quais são elas. 

Quais são as principais ações que demandam maior consumo de energia durante a quarentena? 

Adotar o home office 

Atividade já praticada antes, o home office (trabalhar de casa) ganhou uma nova proporção com o isolamento social. Isso porque, se ele era opcional em algumas das empresas, com a adoção da quarentena, passou a ser obrigatório principalmente em escritórios de tecnologia e em outros segmentos que utilizam essencialmente computador e telefone.

Dessa forma, em grande parte dos casos, os profissionais passaram a ficar em casa, em vez de se dirigirem às empresas para cumprir jornadas de trabalho. E isso acarretou uma maior utilização da energia para carregar computadores, celulares, telefones corporativos e itens do tipo. 

Cozinhar a própria comida 

Com o isolamento social acarretado pela covid-19, até mesmo pessoas que não tinham o hábito de cozinhar em casa começaram a se aventurar nessa prática. Não à toa, programas de culinária, seja na TV ou na internet, passaram a fazer ainda mais sucesso. 

Quando você se aventura mais na cozinha, ainda que economize com comidas prontas, passa a gastar mais com gás e consome mais energia com eletrodomésticos, geladeira e outros itens. Isso, sem dúvida, gera efeitos na sua conta de luz. 

Procurar lazer em casa 

Outro ponto é que, para além do trabalho em casa, com o isolamento social, as pessoas se viram limitadas no que fazer durante o período da noite e nos finais de semana. 

Ou seja, em vez de combinar happy hour em um bar, ir ao cinema ou até passar um tempo em parques públicos, agora o “novo normal” é usar a criatividade e procurar formas de lazer dentro da própria casa.  

Dessa maneira, principalmente com a onda das lives, mas também com o crescente sucesso de entretenimento por streaming, televisores passaram a ser ainda mais utilizados e também outros aparelhos — como luminárias, som e home theater. 

Quais medidas para economizar podem ser tomadas se o isolamento social continuar por mais tempo? 

Agora que você já teve uma ideia do que pode estar deixando a sua conta de luz mais alta, vamos às dicas para conter esse aumento da melhor forma possível e superar esse cenário de pandemia sem extrapolar o seu orçamento. Vamos a elas! 

Invista em lâmpadas econômicas 

Uma medida importante é passar a adotar lâmpadas que sejam mais econômicas do que as que você utiliza. Pode parecer uma dica simples, mas pense bem: se você fica mais tempo em casa durante a noite, utiliza mais as luzes de seus cômodos, o que gera impacto em sua conta de luz. 

Assim, optar por lâmpadas econômicas pode gerar efeitos extremamente positivos em seus gastos. Com a mudança do consumo de energia residencial no Brasil, o ideal é que você também se reinvente o quanto antes! 

Compartilhe o uso de cômodos 

Contanto que feito de forma sustentável, o compartilhamento de cômodos para executar tarefas pode evitar o gasto excessivo de luz.  

Claro que isso não deve prejudicar o bem-estar e o conforto de quem mora em sua casa, mas adotar rituais de home office em cômodos compartilhados pode ser benéfico inclusive para economizar em energia. O mesmo vale para outras ações, como fazer refeições juntos. 

Com o hábito bem definido, uma só lâmpada é utilizada para atender as pessoas, a máquina de lavar é compartilhada na lavagem das roupas, entre outras ações. 

Aproveite a luz natural ao máximo

Uma dica antiga, mas extremamente importante em tempos de isolamento social, é aproveitar a luz natural ao longo do dia. Como as saídas, em geral, tornaram-se escassas, essa ação pode ser fundamental não só para economizar mais com energia elétrica, como para produzir vitamina D no seu corpo. 

saúde mental na quarentena tem sido, inclusive, uma grande questão a se prestar atenção. Pensando nisso, que tal aliar a redução do consumo de energia residencial com hábitos para se manter mais saudável? Aproveite a luz do sol sempre que possível! 

Planeje suas atividades com clareza 

Por fim, um último ponto que pode trazer uma série de benefícios é planejar suas atividades com clareza. O que isso significa? Se você faz home office diariamente, por exemplo, procure definir um horário e segui-lo com disciplina, criando uma rotina. 

Esse ponto permite que você utilize seus aparelhos de maneira mais objetiva, por menos tempo, e evite o desperdício de energia. Se você procrastina, a chance de múltiplos aparelhos — como notebook, televisão e som — ficarem ligados de forma simultânea aumenta, o que afeta seus gastos. 

Fato é que, com o isolamento social, os hábitos de consumo de energia residencial no Brasil em 2020 mudaram significativamente. Com isso, é necessário se adaptar a novas práticas e rotinas para tornar tudo mais eficiente. Se há mesmo um “novo normal”, ele também exige novas versões de nós mesmos para encarar essa realidade.  

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais e os ajude a criar estratégias para economizar com energia, sem reduzir o conforto em casa. Toda mudança é sempre mais efetiva quando feita de forma conjunta.