Aliando a rentabilidade com a sustentabilidade: o que é ESG?

ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) é um conjunto de boas práticas que devem ser implementadas por organizações, visando não apenas comprovar sua solidez e assegurar o crescimento sustentável, mas também evidenciar a preocupação com o meio ambiente e o bem-estar social. Em português, a sigla se traduz como ASG: Ambiental, Social e Governança. 

Os investimentos responsáveis somam 35% do mercado financeiro global, você sabia? Pensando nisso, preparamos este post para te ajudar a entender melhor o que é ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) e como isso se aplica à sobrevivência dos negócios.  

Para resumir, trata-se de um novo olhar de investidores para a sustentabilidade, como se fosse um filtro na hora de tomar decisões sobre colocar certos ativos na carteira (ou não). Logo, entender “o que é ESG” diz respeito a observar como esse movimento está revolucionando o mundo dos investimentos, com ênfase na crescente busca por companhias que trabalham em prol de um futuro melhor (para todos). 

Afinal, o que é ESG (Environmental, Social and Corporate Governance)? 

Para compreender o que é ESG, não é necessário ser um expert no mercado financeiro, já que esses princípios servem tanto para empresas e investidores, quanto para consumidores em si. Basicamente, são três pontos-chave para levar em conta, sobre os quais falaremos a seguir. 

Quesito: ambiental 

A primeira letra da sigla ESG representa a palavra Environmental. São métricas ambientais que contribuem para demonstrar o nível de comprometimento organizacional com a minimização dos impactos ao meio ambiente e as devidas compensações. Para exemplificar, as indústrias podem optar pelo uso de energia solar

Quesito: social

Já a segunda letra da sigla ESG corresponde ao âmbito social, que é o compromisso de cuidar das pessoas que integram os públicos de interesse, sem esquecer dos funcionários e da comunidade do entorno.  

Como exemplo, podemos citar a coalizão empresarial para equidade racial e de gênero, que tem por finalidade “impulsionar a promoção da diversidade e da igualdade racial e de gênero no mercado de trabalho”. 

Quesito: governança 

Por fim, a última letra da sigla ESG está relacionada à governança corporativa, que envolve a gestão de riscos e compliance, para evitar as ocorrências de fraude e corrupção, o que pode prejudicar os investimentos e as reputações organizacionais.  

Para tal, a Serasa Experiandá dicas de prevenção das fraudes empresariais, inclusive: roubo de dados, cheques e documentos falsos, cartões clonados, favorecimento e outras recomendações para proteger as operações. 

Empresa ESG: o que é? 

A definição de “o que é ESG” pode variar conforme as características de cada companhia, porque não necessariamente é preciso ter um produto sustentável. Por outro lado, é possível adotar práticas sustentáveis, a começar por atitudes simples. Além disso, é importante levar em conta o relacionamento com stakeholders, a política de governança e a adoção de medidas para minimizar problemas que a sociedade esteja enfrentando.  https://www.youtube.com/embed/hzKceTxTxjw?feature=oembed

Nesse sentido, ressaltamos algumas das vantagens dos investimentos ESG: 

  • Mais competitividade no longo prazo, visto que há uma tendência entre consumidores de “excluir” organizações “socialmente irresponsáveis”. Por sinal, segundo a pesquisa da Nielsen, realizada em 2019, 42% das pessoas entrevistadas estão mudando os hábitos de consumo para reduzir seus impactos no meio ambiente. O mesmo estudo aponta que 65% não compram de empresas que estão associadas ao trabalho escravo; 
  • Investimento considerado socialmente positivo, isto é, benéfico para a sociedade como um todo, o que também agrega valor à imagem empresarial. Em outras palavras, consumidores conscientes tendem a escolher marcas que têm propósitos com os quais se identificam genuinamente; 
  • Bases sólidas para aplicar bem os recursos, de acordo com o planejamento estratégico e a política de transparência empresarial. No caso, o foco é garantir o cumprimento dos compromissos com diferentes públicos de interesse (investidores, acionistas, colaboradores, fornecedores e outros);  
  • Retenção de talentos e redução da rotatividade de pessoal, tendo em vista que as novas gerações têm como prioridade a agenda sustentável. Com isso, alguns deles podem estar mais propensos a ganhar salários menores, caso tenham a oportunidade de trabalhar com sustentabilidade.  

Exemplos de quem já entende bem o que é ESG  

De fato, o conceito de “o que é ESG” em relação à sustentabilidade está consolidado em inúmeros países, o que ainda não acontece no Brasil em larga escala. Entretanto, muitas instituições estão apostando nesse movimento, pois tais princípios geram engajamento e trazem argumentos relevantes para aumentar o interesse de potenciais investidores. 

Empresas que atuam no Brasil com a cultura ESG 

Para facilitar o entendimento sobre o que é ESG, listamos três exemplos de companhias que já colocam esses critérios em prática:

  • Santander: em termos de governança, os processos, políticas e condutas têm como base a transparência e os direitos de acionistas, uma vez que as ações são negociadas nas bolsas de valores: BM&FBovespa (São Paulo/Brasil) e NYSE (Nova Iorque/Estados Unidos). Assim, as operações estão sujeitas aos mecanismos nacionais e internacionais de auditoria e segurança, como a Lei Sarbanes-Oxley.
  • Natura: tem como desafio gerarimpactos positivoscom suas atividades, o que inclui: compensar emissões de carbono (com plantio de árvores e recuperação de nascentes), além de pesquisar novos usos para materiais que seriam descartados e outros projetos;
  • Itaú: no Relatório Anual Integrado 2019, o banco dispõe de uma seção dedicada aos temas ASG. Dentre essas informações adicionais, constam os indicadores de negócio e as práticas em curso, incluindo: financiamento em setores de impacto positivo, cidadania financeira e gestão responsável.

Índice ESG Brasil 

B3dispõe de seis índices de sustentabilidade. A Bolsa defende que, “além de servir como instrumentos atrativos para investidores comprometidos com esta temática, ajudam a estimular companhias a incorporarem questões ambientais, sociais e de governança em seu dia a dia”. Confira quais são esses índices: 

  • Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) 
  • Índice de Carbono Eficiente (ICO2) 
  • Índice de Ações com Governança Corporativa Diferenciada (IGC) 
  • Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT) 
  • Índice de Governança Corporativa – Novo Mercado (IGC-NM) 
  • Índice de Ações com Tag Along Diferenciado (ITAG) 

Para finalizar, indicamos o podcast do Stock Pickers, promovido peloInfoMoney, sobre o potencial para alavancar os resultados financeiros em empresas que valorizam os aspectos ESG. Na ocasião, especialistas questionam se os respectivos negócios fazem parte dos problemas globais ou se estão na linha das soluções, citando a biotecnologia e a transição energética para fontes renováveis

Esperamos que este post tenha ajudado a esclarecer o que é ESG. Se quiser saber também sobre o mercado de energia sem “energizês”, assine anossa newslettere fique por dentro dos nossos conteúdos focados em sustentabilidade, gestão e energia.