Em tempos de “conta de luz” nas alturas, consumidor não topa pagar a conta do vizinho

A Omega Energia, plataforma de energia renovável e digital, realizou em parceria com a Nielsen, empresa global de dados e análises da indústria de mídia, uma pesquisa com o objetivo de avaliar o conhecimento referente à energia solar, subsídios e incentivos que impactam na conta de luz. 

O estudo revela que 8,1% dos participantes que consomem energia comum estão dispostos a pagar mais pela conta de luz para que, aqueles que têm painel solar próprio, não desembolsem por serviços e encargos do sistema elétrico (conhecido como subsídio cruzado). Já 73,5% dos respondentes com o mesmo perfil não estão dispostos a pagar mais por isso e 18,4% apontam que talvez aderissem à proposta. 

Quando questionados sobre qual energia gostariam que o país adotasse, 91,2% dos respondentes em geral optaram pelo consumo da energia renovável/limpa, se tivessem o direito de escolher.

Fonte: Nielsen/Omega – pesquisa realizada em junho de 2021


Modelo atual precisa de avanços – Com o modelo atual de geração distribuída, quanto mais pessoas e empresas instalam painéis solares em suas propriedades, mais a conta de luz subirá, o que é insustentável. Em tempos de preços de energia elétrica nas alturas, a pesquisa deixa claro que os brasileiros apoiam fortemente a agenda da energia renovável. No entanto, eles não aprovam os aumentos sucessivos de energia elétrica e, por isso, não estão dispostos a pagar mais custos e encargos que já representam quase 50% do valor da tarifa.

O Brasil é o país com a energia renovável mais barata do mundo, rico em fontes renováveis para gerar energia limpa e de custo mais baixo. Porém, são necessários avanços na modernização setorial, como a abertura do mercado livre de energia para todos os consumidores, o que favoreceria uma enorme transformação no país a partir da energia limpa e barata. “O alto preço da energia torna as empresas menos competitivas, além de tirar renda das famílias. Além disso, a energia suja nos coloca na contramão dos atributos de sustentabilidade que estão sendo buscados pelas empresas no Brasil e no mundo”, diz Antonio Bastos Filho, CEO da Omega Geração e da Omega Comercializadora.

A pesquisa foi realizada de 10 a 14 de junho de 2021, contou com 1000 participantes de todas as regiões do país responsáveis por pagar a conta de luz em suas residências.

Sobre a Omega Energia

Fundada em 2008, a Omega Energia é uma plataforma de energia renovável e digital. A companhia é referência em investimentos no setor de geração de energia limpa e a maior detentora de ativos operacionais renováveis do país – hoje presente em sete estados brasileiros, com capacidade contratada de 1.869 MW.

Ao longo do tempo a Omega inovou e fez da tecnologia uma grande aliada para resolver problemas de seus clientes e mercados. Em 2020, a companhia lança a primeira plataforma 100% digital para compra e gestão de energia no mercado livre, dando mais um passo em direção a seu propósito de transformar o mundo por meio da energia limpa, barata e simples.

Sobre a Nielsen


A Nielsen Holdings plc (NYSE: NLSN) é uma empresa líder global de dados e análise que fornece uma compreensão holística e objetiva da indústria de mídia. Com ofertas que abrangem medição de audiência (measurement), resultados de audiência (outcomes) e conteúdo, a Nielsen oferece a seus clientes e parceiros soluções simples para questões complexas e otimiza o valor de seus investimentos e estratégias de crescimento. É a única empresa que pode oferecer medição de audiência cross-media sem duplicação. A Nielsen está comprometida em garantir que cada voz conte, pois para ela e seus clientes “Audience is EverythingTM”.

Uma empresa S&P 500, a Nielsen tem operações em quase 60 países. Para mais informações, visite: www.nielsen.com. De tempos em tempos, a Nielsen usufrui do seu site e redes sociais como canais de distribuição de informações relevantes da empresa. Os materiais podem ser encontrados em https://www.nielsen.com/investors, e nas contas oficiais do Twitter, LinkedIn, Facebook e Instagram.